sexta-feira, 19 de outubro de 2012

A Imutabilidade Divina ante a Mutabilidade Humana.


É notável para os cristãos perceberem que o Deus a quem servem é imutável em todos os aspectos principalmente quando diz respeito a Sua fidelidade para com suas promessas. Doravante, não podemos jamais comparar o ser divino com a humanidade, já que diferentemente de Deus os homens mudam constantemente suas atitudes, ideologias e promessas, pois o mesmo depende de uma série de fatores sejam eles internos ou externos para tomarem suas decisões.

Então, o que poderemos tratar acerca da imutabilidade Divina ante a mutabilidade e inconstância do ser humano?

Em primeiro lugar devemos definir o que é imutabilidade, segundo Wayne Gruden: “Deus é imutável em seu ser, nas suas perfeições, nos seus propósitos e nas suas promessas”. Este é o ser divino, Ele não pode negar-se a si mesmo, pois Deus não depende de absolutamente nada, a não ser Dele próprio, para tomar e cumprir suas decisões. Poderíamos citar enes textos bíblicos que demonstram as variações emocionais, intelectuais e morais dos homens principalmente daqueles que fizeram e continuam a fazer parte do povo de Deus, como por exemplo, a murmuração do povo de Israel a Deus mesmo depois de o Senhor os ter livrado do Egito e feito muitos milagres em seu meio. Também poderíamos citar os pecados de Davi mesmo diante da misericórdia e cuidado que Deus tinha sobre ele. É aí que percebemos que mesmo diante da variação dos seres humanos Deus mostra seu amor através da sua imutabilidade permanecendo o mesmo.

O apóstolo Tiago (irmão de Jesus) traduz muito bem este aspecto divino quando em sua epístola nos descreve o seguinte: Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. Tiago trata acerca da perseverança e da fé, mostrando que mesmo diante da inconstância dos homens Deus continuará abençoando a humanidade com suas dádivas, distribuindo no presente e no futuro seus dons excelentes, pois não existe Nele mudança nem sombra de variação.

Em outro texto o apóstolo Paulo diz o seguinte: se somos infiéis, ele permanece fiel; porque não pode negar-se a si mesmo (2ª Timóteo 2.13). Paulo mostra-nos uma realidade inefável de que Deus é totalmente fiel aos seus propósitos eternos, pois Ele não está preso a nossa fidelidade ou infidelidade, se o negarmos Ele nos negará, se o confessarmos com fé Ele nos aceitará, isto é algo estabelecido por Deus, portanto o Senhor não poderá ir de encontro contra sua determinação e palavra, já que Ele não pode negar-se a si mesmo.

O teólogo holandês Herman Bavinck observou o seguinte: “A doutrina da imutabilidade de Deus á da mais relevante importância para a religião cristã. O contraste entre ser e vir a ser denota a diferença entre o Criador e a criação. Toda criação está continuamente vindo a ser, ela é mutável e vive em constante azáfama, buscando repouso e satisfação em Deus, pois somente o Senhor é puro Ser e não criatura que veio a ser”. Certamente aí se encontra a diferença entre Deus e os homens, é por isto que o Senhor é imutável em seu ser (Ele é o Criador e não a criatura), enquanto a humanidade é mutável em sua natureza mortal e finita.

Se Deus não fosse imutável, então todo o fundamento da nossa fé ficaria em ruínas, como disse Wayne Grudem: “Nossa fé, esperança e conhecimento dependem, em última análise, de um ser infinitamente digno de confiança – e este ser chamamos de Deus, pois o mesmo é eternamente imutável em seu ser, em suas perfeições, em seus propósitos e em suas promessas”. Como cristãos devemos exultar todos os dias por servimos ao Deus criador dos céus e terra, devemos glorificar seu santo nome, pois Ele diferentemente de nós não está preso à influência do tempo, espaço, a fatores emocionais e psicológicos como nós. Tudo isto nos leva a uma confiança inabalável no Senhor Jesus Cristo ao sabermos que ele jamais mudará no que concerne aos seus propósitos e promessas eternas para o seu povo. 

Anime sua fé e esperança em Deus, saiba que Ele sempre está disposto a nos perdoar derramando sobre nós o seu amor inefável, confie Nele, pois diferentemente dos homens em geral o Senhor jamais irá lhe decepcionar, já que Ele é fiel e vela para cumprir sobre sua palavra. Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele dito, não o fará? ou, havendo falado, não o cumprirá?.

Soli Deo Glória!
Narciso Montoto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages - Menu

Flickr