terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Igreja, Templo ou Comunidade?

O que podemos falar sobre a Igreja? O que é realmente a Igreja para nós? Tais perguntas são difíceis de responder para muitos que não se engajam num estudo salutar das Sagradas Escrituras. Então o que a Bíblia discorre acerca deste assunto? O que é realmente a Igreja?

Primeiramente devemos observar o que os membros de nossas igrejas ponderam sobre este assunto. Percebemos que no decorrer dos anos muitos irmãos veem tratando a Igreja como o local onde os mesmos se reúnem para cultuarem a Deus. Os mesmos tomam os templos nos quais se reúnem como a Igreja do Senhor. Tais indivíduos muitas vezes não percebem que estão cometendo uma garfe teológica quando descrevem em suas mentes o Templo construído por mãos humanas como a Igreja de Cristo. Assim como muitos outros ensinamentos judaizantes que tem solapado os ensinamentos neotestamentários, esta noção de Igreja como o templo torna-se mais um, neste pseudocristianismo que enfrentamos em nossos dias.

A ideia de Igreja como templo físico foi tomada erroneamente pelos neopentecostais e judaizantes de nossa época do Antigo Testamento. O Antigo Testamento começa a partir de Êxodo a mostrar um local de adoração para o povo judaico através do tabernáculo e mais tarde por intermédio de Salomão um templo suntuoso para servir como local de adoração para o povo israelita. Tanto o tabernáculo quanto o templo de Salomão eram vistos pelo povo como o local onde Deus habitava e como o único local de adoração ao Senhor. Daí a ideia pós-moderna dos judaizantes e neopentecostais de se tomar o templo como a Igreja de Cristo Jesus. Mas, o que Jesus diz a este respeito?

Jesus em seu ministério terreno tinha também como missão desbaratar tanto os falsos ensinos quanto as más interpretações acerca do Antigo Testamento, é aí que entra o Novo Testamento como a verdadeira interpretação do Antigo. Certa feita Jesus Cristo disse: “Destruirei este santuário, e em três dias eu o reconstruirei” (João 2.19; Confira também - Mateus 26.61 e Marcos 14.58). Jesus começa de forma sutil a demonstrar que um templo construído por mãos humanas não possuía grande relevância para Deus, já que, Deus não habita em templos construídos por mãos humanas (Deus não pode ficar recluso a um único ambiente, pois Ele é espírito), este texto diz respeito primariamente sobre a morte e ressurreição de Cristo, mas também demonstra a real improtância do corpo como templo e morada de Deus . Em outro momento quando Jesus se encontrou com a mulher samaritana ele disse: “Mulher pode crer-me que a hora vem, quando nem neste monte (Gerizim), nem em Jerusalém (templo) adorareis o Pai” (João 4.21). Jesus foi questionado pela mulher samaritana onde se deveria adorar a Deus, qual seria o local adequado, Jesus simplesmente diz que chegaria um dia em que poderíamos adorar a Deus em qualquer lugar, pois segundo suas palavras: “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles” (Mateus 18.20).

Mas não foi apenas Cristo Jesus que não deu demasiada importância aos templos, o apóstolo Paulo disse: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado” (1ª Coríntios 3.16-17). De uma vez por todas o apóstolo nos revela que nós é que somos o verdadeiro templo onde Deus por meio do Espírito Santo habita. Portanto os templos construídos por mãos humanas nunca foram e nunca serão a habitação de Deus, e se não são a habitação de Deus não podem ser a Igreja de Jesus Cristo. Mas, então, o quê ou o que é a Igreja?

Agora que estamos conscientes que não podemos chamar nossos templos de Igreja no verdadeiro sentido da palavra (os mesmos não passam de um local onde a congregação que é a verdadeira Igreja se reúne para cultuar ao Senhor- porém podemos chamá-los assim como instituição pois a verdadeira Igreja se reúne ali), devemos compreender que a Igreja do Senhor Jesus é a reunião de seus eleitos para adorá-lo e fazer sua vontade, já que somos o templo e morada do Espírito Santo de Deus. O apóstolo Paulo trata a Igreja como uma comunidade unida onde não deve haver espaços para privilégios individuais, pois somos um só corpo e como tal dependemos uns dos outros. A bíblia diz: “Ele (Jesus) é a cabeça do corpo, da Igreja” (Colossenses 1.18a). Este texto deixa claro que Cristo é o supremo líder e dono da Igreja. Concernente a Igreja em si, Paulo nos diz na epístola aos Coríntios: “Contudo, Deus coordenou o corpo, concedendo muito mais honra àquilo que menos tinha, para que não haja divisão no corpo; pelo contrário, cooperem os membros, com igual cuidado, em favor uns dos outros. De maneira que, se um membro sofre, todos sofrem com ele; e, se um deles é honrado, com ele todos se regozijam” (1ª Coríntios 12.24b-26). O apóstolo quer ensinar a Igreja do Senhor que devemos viver realmente como uma comunidade, onde não deve haver espaços para vanglória e individualismos, mas devemos cultivar o altruísmo uns para com os outros.

Quando recordamos a enorme diferença que existe entre a Igreja dos três primeiros séculos para com a Igreja pós-moderna vemos o quanto nos distanciamos das Sagradas Escrituras. Numa sociedade que valoriza em demasia os bens materiais, os cristãos ocidentais já se acostumaram a cultuar a Deus em templos suntuosos e confortáveis que parecem mais com mansões. Será que esquecemos que Deus não necessita de tanta pompa e luxo? Será que nos olvidamos que Deus não se importa com os lugares em que Ele está sendo adorado? Em contraposição se esquecem de que a Igreja é formada pela congregação e que nosso dever é sofrer com os que sofrem e se alegrar com os que se alegram. Damos muitas vezes mais importância às coisas fúteis desta vida e nos olvidamos daquilo que é mais importante como, a cumplicidade entre pessoas.

Lembremo-nos de nossas origens. A Igreja foi fundada através do sacrifício de Cristo. Nossos irmãos nos três primeiros séculos devido à perseguição cultuavam a Deus em cavernas, cemitérios e nas casas uns dos outros, sem contar o risco de morte que corriam apenas por denominarem-se cristãos. Portanto, Deus não está nem aí para templos suntuosos, pois eles não são a Igreja. Jesus ama e se preocupa com sua noiva, a saber, sua Igreja que é formada pela comunidade de seus eleitos.

Soli Deo Gloria!
Pr. Narciso Montoto.
                                                                                                                                               

2 comentários:

  1. Quero entender para onde nos leva essas questões Ev:Welbert Couto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que a idéia fundamental seja a libertação interior dos ISMOS, criados pelo homem. CRISTO veio para nos libertar, e o homens, delirando em sua carnal compreensão cria sistemas para nos ARREBANHAR A seu bel prazer.
      Observe voce mesmo, que as estrelas gospel, estão surtando e despencado do pedestal da fama por causa da INCOERENCIA a que vivem.
      É como JESUS mesmo disse: ENSINAM LIBERTAÇÃO, sendo eles mesmos escravos de seus bell prazeres.

      Excluir

Pages - Menu

Flickr